segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Saindo da Pauta mas Sempre no Amor

Ai gente tanta coisa pra contar mas eu não resiste. Ainda fui assistir Comer, Rezar e Amar (porque mesmo, hein?!) mas li o livro há uns dois anos (Jones confirma pra mim na primeira folha). Eu estava em um momento bem feliz mas no início do livro todo aquele sofrimento foi tão genuíno, tão provável que eu conseguia sentir toda aquele confusão de sentimentos mesmo estando no momento very happy. E daí que no desenrolar da história lá na Indonésia e o Felipe aparece eu achei legal, curti mas eu achei que não iria muito longe, lembro que no site dela o povo curioso perguntava "E o Felipe? Vocês estão juntos..." Todo aquele papo de comadre. Então, que agorinha passeando pelo Submarino vi esse pré lançamento (se notícia já está velha perdoem).

 
                                    
Comprometida: Uma História de Amor



A viagem de Elizabeth Gilbert em "Comer, Rezar, Amar" atraiu mais de sete milhões de leitores pelo mundo. Comprometida conta a história do que a autora descobriu depois.



Elizabeth Gilbert estava com quase trinta anos e tinha tudo o que qualquer mulher poderia querer: um marido apaixonado, uma casa espaçosa que acabara de comprar, o projeto de ter filhos e uma carreira de sucesso. Mas em vez de sentir-se feliz e realizada, estava confusa, triste e em pânico. Enfrentou um divórcio, uma depressão debilitante e outro amor fracassado até que decidiu tomar uma decisão radical: livrou-se de todos os bens materiais, demitiu-se do emprego, e partiu para uma viagem de um ano pelo mundo - sozinha. "Comer, Rezar, Amar" é a envolvente crônica desse ano.



Nos últimos capítulos de "Comer, Rezar, Amar", Liz Gilbert conhece o brasileiro Felipe. Naturalizado australiano, ele vivia na Indonésia quando conheceu Liz, 17 anos mais nova - é ele o "coroa" da dedicatória do novo livro escrita em português até na edição de língua inglesa.



A história de Comprometida começa dezoito meses depois do fim de "Comer, Rezar, Amar". Com humor e inteligência, o livro examina questões de compatibilidade, paixão, fidelidade, tradição familiar, expectativas sociais, os riscos de divórcio e as responsabilidades mais mundanas. Liz Gilbert desfaz os mitos, desmonta os medos, constrói uma perspectiva histórica e troca, enfim, fantasias românticas por vitais compromissos emocionais. Assim, o livro se torna uma celebração do amor - com toda a complexidade e as consequências que o amor verdadeiro, sem ilusões, sempre acarretará.
(Descrição do Submarino)

Dando uma chance para o amor. Tudo! Olha tem momentos que eu quero fatiar o Jr, cortar em cubinhos e jogar pro alto, agora junta!. Mas passa um tempinho (ou tempão) e eu quero ele comigo grudado vendo filme tosco na tv, reparando na belezura do jogadores de futebol, dando beijinhos de Amelie Poulain, escolhendo pizza ou Habib's e torcendo pra não chegar nínguém as 22h (isso não é hora de visitas!).

P.S. Esse post não foi patrocinado.




Nenhum comentário: